Levante Informativo

Democracia de informações


Deixe um comentário

Estudo mostra novos benefícios do jejum

Jejum

O jejum é um método fácil, comumente usado para se perder peso, mas o este poderia também ajudar o corpo a curar doenças. Abster-se de comida por, pelo menos, dois dias pode regenerar o sistema imunológico, auxiliando no combate a infecções, de acordo com novo estudo.

Cientistas da University of Southern California afirmou que as novas decobertas poderiam ter maiores implicações para os idosos sofrendo devido a um sistema imunológico debilitado tais quais os pacientes de câncer.

Pesquisadores testaram os efeitos do jejum  de dois a quatro dias em um contexto de seis meses em camundogos e humanos. Em ambos os casos, longos períodos de abstenção de comida, diminuiu significativamente a contagem de leucócitos. E nas cobaias, cada ciclo de jejum “acionou um interruptor regenerativo” que iniciou o processo de regeneração das células tronco, criando novos leucócitos e, dessa forma, renovando o sistema de defesa do corpo.

Valter Longo, Professor de Gerontologia e de Ciências Biológicas na University of Southern California, afirmou: “ É o gatilho para as células tronco começarem a proliferar-se e reconstruir todo o sistema imunológico. E a melhor notícia é que o corpo descartou as partes do sistema que poderiam estar danificadas ou velhas, as partes ineficientes foram eliminadas durante o jejum”.

Ele ainda disse: “Agora, se você começa com um sistema severamente prejudicado por quimioterapia, ou idade avançada, ciclos de jejum podem gerar, literalmente, um novo sistema imunológico”.

O estudo também achou que o ato de jejuar reduz os níveis de enzima PKA (quinase a), um efeito que é conhecido por aumentar a longevidade em organismos simples; também reduz os níveis do hormônio IGF-1, que foi conectado ao processo de envelhecimento, aumento de tumores e risco de câncer.

Em adição aos estudos previamente citados, um estudo piloto descobriu que jejuar pelo período de 72 horas antes da quimioterapia, protegeu os pacientes contra a toxicidade do tratamento. “Enquanto a quimioterapia salva vidas, também causa danos colaterais bem significantes ao sistema imunológico. Os resultados do estudo sugerem que jejuar pode mitigar alguns dos efeitos maléficos da quimioterapia”, afirmou Tanya Dorff, professora assistente de medicina clínica da University of Southern California.

“Mais estudos clínicos são necessários, e tal intervenção na dieta deveria ser feita apenas sob a observação de um clínico”.

 

Fonte:

http://www.healthy-holistic-living.com/fasting-two-days-regenerate-immune-system-according-research.html#


Deixe um comentário

Não fume, coma!

SAMSUNG

  Mulher Substitui 40 Medicações Por Suco de Cânabis Crua

Apesar dos resultados não serem tão chocantes para todos, muitas pessoas no mundo estão ainda “acordando” para os tremendos benefícios medicinais que a cânabis tem a nos oferecer. Um estudo recente, conduzido pelo Instituto de Psiquiatria Molecular na Universidade de Bonn, Alemanha, descobriu que a ativação dos do sistema de produção de canabinoides pelo cérebro inicia um processo de liberação de antioxidantes que agem como um mecanismo de limpeza. Este processo é conhecido por remover células danificadas e melhorar a eficiência das mitocôndrias. As mitocôndrias são a fonte de energia das células. O estudo foi publicado em Philosophical Transactions of The Royal Society (Transações Filosóficas da Sociedade Real), uma revista eletrônica de Ciências Biológicas.

Existe, também, bastante evidência que apoia o fato que a cânabis também pode ser um tratamento efetivo, e até uma potencial cura para o câncer. É bem sabido que uma lista de estudos foram publicados recentemente e provam a capacidade da cânabis em curar o câncer. Drogas prescritas matam mais de 100.000 pessoas todo ano e dietas baseadas em plantas previnem mais de 60% de morte em doenças crônicas. É hora de deixarmos nossos estigmas sobre a cânabis de lado, pois a única razão pela qual somos levados a considerá-la de forma negativa é porque esta ameaçaria vários ramos multimilionários (incluindo a indústria farmacêutica). A cânabis, junto ao cânhamo, tem cerca de 50.000 diferentes usos que poderiam transformar o mundo como conhecemos.

É provado que os canabinoides não só reduzem as células cancerígenas, mas também tem o grande benefício de reconstruir o sistema imunológico. Nem todo pedaço da cânabis gera o mesmo efeito. Cada vez mais pacientes estão tendo sucesso na redução do câncer em tempo reduzido apenas fazendo uso da cânabis. Ao contrário da crença popular, fumar a cânabis não ajuda tanto a tratar as doenças porque os níveis terapêuticos não podem ser alcançados com a combustão. A criação de óleos da planta ou alimentação direto da planta são a melhor forma de se obter os ingredientes necessários, que são os canabinoides.

raw-cannabis

 

A cânabis, quando esquentada e queimada, transforma a estrutura e acidez do THC que reduz sua potencialidade terapêutica. Mais ainda, sempre que você queima algo e inala, leva-se a um estado de oxidação dentro do corpo. A oxidação não é saudável e pode levar a problemas de saúde. É por isso que os antioxidantes são uma parte tão importante de uma dieta saudável. Também, o consumo da planta crua não causa os mesmos efeitos de “chapação”, conseguidos apenas com a combustão (fumando ou comendo alimento cozido ou que foi ao forno).

Fonte: http://www.collective-evolution.com/2013/09/03/shocking-results-woman-replaces-40-medications-with-raw-cannabis-juice/

 

Assista o vídeo em inglês.


Deixe um comentário

34 Estudos Médicos Comprovam Que A Cânabis Cura o Câncer

Imagem

Ainda existe muita confusão quando se trata de se a maconha é efetiva ou não para pacientes de câncer. Provavelmente você ouviu falar algo sobre isso e não tinha certeza se era informação confiável ou definitiva.

Então, para esclarecer o assunto, aqui vai uma lista de 34 estudos mostrando que a maconha cura o câncer. Categorizadas pelo tipo de câncer a ser tratado em cada estudo. Enquanto você lê os artigos, note que o tema mais comum neles é que a cânabis seca os tumores e seletivamente busca as células cancerígenas.

Enquanto pesquisas e iniciativas do cidadão comum e políticas de abrir o debate, o projeto de Cristovam Buarque, lembre-se que não estamos falando de mitigar os efeitos colaterais da quimioterapia (apesar de ser outro uso viável), estamos falando de curar o câncer em si tal como prevenir que se espalhe. Abaixo, estão incluídos artigos de jornais científicos com boa credibilidade, apesar de serem em inglês. Por enquanto existem outros assuntos que têm certa prioridade para serem traduzidos e publicados neste blog, mas com certeza no futuro estarei traduzindo alguns destes artigos.

 

Cânabis Cura Tumor Cerebral

http://www.nature.com/bjc/journal/v95/n2/abs/6603236a.html
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11479216
http://www.jneurosci.org/content/21/17/6475.abstract
http://jpet.aspetjournals.org/content/308/3/838.abstract
http://mct.aacrjournals.org/content/10/1/90.abstract

Cânabis Cura Câncer De Boca E De Garganta

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20516734

Cânabis Cura Câncer De Mama

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20859676
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18025276
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21915267
http://jpet.aspetjournals.org/content/early/2006/05/25/jpet.106.105247.full.pdf+html
http://www.molecular-cancer.com/content/9/1/196
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22776349
http://www.pnas.org/content/95/14/8375.full.pdf+html

 

 

Cânabis Cura Câncer de Pulmão

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22198381?dopt=Abstract
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21097714?dopt=Abstract
http://www.nature.com/onc/journal/v27/n3/abs/1210641a.html

Cânabis Cura Câncer Uterino, Testicular e Pancreático

http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/cam/cannabis/healthprofessional/page4
http://cancerres.aacrjournals.org/content/66/13/6748.abstract

Cânabis Cura Câncer de Próstata

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12746841?dopt=Abstract
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3339795/?tool=pubmed
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22594963

Cânabis Cura Câncer Cólon-retal

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22231745

Cânabis Cura Câncer Ovariano

http://www.aacrmeetingabstracts.org/cgi/content/abstract/2006/1/1084

Cânabis Cura Leucemia

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12091357
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16908594
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ijc.23584/abstract
http://molpharm.aspetjournals.org/content/70/5/1612.abstract

Cânabis Cura Câncer de Pele

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12511587

Cânabis Cura Câncer de Fígado

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21475304

Cânabis Cura Câncer de Vias Biliares

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19916793

Cânabis Cura Câncer de Bexiga

http://www.medscape.com/viewarticle/803983 (necessário cadastrar-se para ver estudo)

Cânabis Cura Câncer em Geral

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12514108
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15313899
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15313899


Deixe um comentário

Sua água está sendo envenenada

 

8zyzy

FLUORAÇÃO DA ÁGUA

“A fluoração da água vai de encontro a todos os princípios farmacológicos. É obsoleto” – Dr Arvid Carlsson, ganhador do prêmio Nobel em Medicina/Fisiologia.

 

VISÃO GERAL

A fluoração da água é a prática de adicionar químicos industriais e fluoreto à água com o objetivo de prevenir a perda dos dentes. Um dos fatos pouco sabidos sobre esta prática é que os Estados Unidos, que fluoram mais de 70% de seu suprimento de água, tem mais pessoas que bebem desta água tratada do que o resto do mundo somado. A maior parte das nações desenvolvidas, incluindo todo o Japão e 97% da Europa ocidental, não fluoram a água.

Nos Estados Unidos, a Divisão de Saúde Oral do Centro de Controle de Doenças (CCD) aclamam a fluoração como uma das “10 mais importantes conquistas do século 20.” Contudo, dados abrangentes da Organização Mundial de Saúde revelam que não há diferença discernente no número de perda dos dentes entre a minoria das nações do ocidente que fluoram a água e a maioria que não a faz. De fato, a taxa de perda de dentes em muitos país com água não fluorada são agora menores que os números das nações que fluoram.

Como está ficando mais claro, a fluoração dos suprimentos de água está ultrapassada, desnecessária, e uma relíquia da cultura de saúde dos anos 50 que visava uma distribuição em massa de químicos, bem diferente das práticas atuais. A minoria das nações que ainda fluoram sua água deveria cessar com esta prática. Aqui estão as razões por que:

TRÊS RAZÕES PARA SE DAR UM FIM À FLUORAÇÃO

 

Razão nº 1: Fluoração é uma forma ultrapassada de medicação

Diferente de todos os outros tratamentos de água, fluoração não trata a água em si, mas a pessoa consumindo-a. A Administração de Alimentos e Drogas (órgão estadunidense) aceita que o fluoreto é uma droga, não um nutriente, quando usado para prevenir doenças. Por definição, a fluoração da água é um medicamento. Por isso a maioria dos países da Europa ocidental rejeitaram a prática – porque, em sua visão, o abastecimento de água não é um bom sistema para se adicionar medicamentos, particularmente como o fluoreto já está disponível para o uso individual em forma de pasta de dente.

Razão nº 2: A fluoração é desnecessária e ineficiente

A razão mais óbvia para acabar com a fluoração é que agora é sabido que o maior benefício vem do contato tópico com os dentes, não pela ingestão. Até a Divisão de Saúde Oral do CCD reconhece o fato. Simplesmente não existe a necessidade, portanto, de engolir o fluoreto, seja na água, pasta de dente, ou de qualquer forma. Mais ainda, apesar de recentes alegações de que o fluoreto reduziria em 65%  as cáries, estudos modernos em larga escala mostram que não existe uma diferença consistente ou relevante na taxa de cáries de áreas fluoradas ou não.

Razão nº 3: A fluoração não é uma prática segura

A mais importante razão para acabar com a fluoração é que simplesmente não é uma prática segura, particularmente para aqueles que tem uma saúde mais fragilizada e isso os deixa mais vulneráveis aos seus efeitos tóxicos.

Primeiro, não existe nenhuma controvérsia em relação ao fluoreto ser o causador do desenvolvimento de fluorese em crianças, a descoloração dos dentes é causada pelo excesso de consumo do flúor. Cientistas do CCD reconhecem que o fluoreto causa fluorese “cosmeticamente questionável” nos dentes frontais de crianças – um efeito que pode causar constrangimento e ansiedade nas crianças em uma época que a aparência física é um importante prognosticador de auto-estima.

Segundo, é sabido que a água fluorada causou sérias doenças ósseas em pacientes que faziam diálise até o fim dos anos 70 (antes da diálise utilizar de unidades filtradoras de fluoreto). Enquanto unidades de diálises, agora, filtram o fluoreto, pesquisas mostram que atualmente a exposição ao fluoreto ainda resultam em níveis altos de fluoreto nos ossos em pacientes que fazem diálise e outros pacientes com outras formas avançadas de doença renal. É antiético comprometer a saúde de alguns membros da população para obter um benefício pretendido a outros – particularmente na falta de um consentimento consciente destas pessoas vulneráveis.

E, finalmente, um caso cada vez maior de evidências relevantes que indicam que a água fluorada, em conjunto com outras fontes diárias de exposição ao fluoreto, pode causar ou contribuir para uma série de sérios efeitos, incluindo artrite, dano para o cérebro em desenvolvimento, redução da função da tireoide, e a possibilidade de osteossarcoma (câncer ósseo) em adolescentes do gênero masculino.

As comunidades estão começando a entender a mensagem

Nos últimos anos, comunidades espalhadas pelos Estados Unidos e Canadá começaram a reacessar a sabedoria tradicional de fluoração da água. Muitas dessas comunidades, incluindo mais de 50 desde 2010, estão chegando à conclusão óbvia; quando retirados o apoio, boas intenções, e garantia de benefícios, fluoração não faz sentido.

A Europa chegou a esta conclusão há tempos. Agora é hora dos EUA e a todas as outras nações comprometidas com a saúde e bem-estar de seus compatriotas a seguir com a ação.

Fonte: http://fluoridealert.org/issues/water/